Film, mostre ecc.

O Tesouro do Santo Sepulcro em Paris


 Terrasanta.net |  16 aprile 2013

Algumas das obras expostas em Paris: uma bacia de prata, com 39 centímetros de diâmetro, trabalhado em relevo, entalhado e dourado. Doado pelo rei Luís XIII da França. (fotografia: A. Bussolin/Cts) [1/4]

Véu bordado para cobrir o Cálice. Doação da Republica de Gênova em 1686.

Relicário da verdadeira Cruz, 1628. Prata fundida acinzentada e dourada.

Lâmpada para santuário, ouro maciço. Doação do rei João V de Portugal.

O Palácio real de Versailles, às portas de Paris, hospeda de 16 abril até 14 julho uma mostra intitulada Tesouro do Santo Sepulcro. Doações das cortes reais européias à Jerusalém. O evento é especial: pela primeira vez são expostos juntas 250 obras doadas a Jerusalém pelas cortes européias nos últimos séculos.


(Milão/g.s.) – As salas dos Cruzados do Palácio real de Versailles, às portas de Paris, hospedam de 16 abril até 14 julho uma mostra intitulada Tesouro do Santo Sepulcro. Dons das cortes reais européias à Jerusalém.

O evento é particular: pela primeira vez são expostas juntas 250 obras de arte «desconhecidas» que chegaram em Jerusalém no curso dos últimos séculos. Durante três meses os Frades Menores da Custódia da Terra Santa, oferecem ao público estes objetos preciosos, ainda hoje muito utilizados nas celebrações mais solenes na Basílica que engloba o Calvário e o túmulo vazio do Senhor Ressuscitado.

Trata-se de preciosos cálices, cruzes, lâmpadas, candelabros, cibórios e paramentos litúrgicos presenteados por soberanos europeus em sinal de devoção ao Salvador, mas também para reafirmar o poder da própria família e do próprio Estado.

As obras serão organizadas por ordem de proveniência – em particular do Sacro Império Romano, dos Reinos da Espanha, França e Portugal, da República de Genoa – para evidenciar como as cortes européias competiam em generosidade.

A mostra estará aberta, todos os dias, menos às segundas, das 9 às 18:30 horas. A organização do evento ocorre em colaboração com o Conselho Geral do departamento dos Hauts-de-Seine e prevê também uma segunda sede expositiva: a Maison de Chateaubriand, em Châtenay-Malabry. Ali o público poderá admirar nove quadros, também estes pertencentes à Custódia. O longo trabalho de preparação para a mostra parisiense iniciou três anos atrás e, por fim, também será beneficiado o nascente Terra Sancta Museum, que a Custódia pretende inaugurar em Jerusalém em 2015.

La farmacia della Custodia, un patrimonio antico

Riforniva gli abitanti di Gerusalemme e divenne punto di riferimento per la cura della popolazione. Creata dai frati francescani nel Trecento, era la farmacia della Custodia di Terra Santa. 

Dalla Val di Fassa a Betlemme, è Natale a teatro

Il 21 settembre scorso gli studenti della Scuola ladina di Fassa (in provincia di Trento) hanno rappresentato a Betlemme lo spettacolo Il primo Natale. Con loro in scena anche studenti palestinesi.

A due film israeliani il premio del pubblico della Berlinale 2016

Il cinema israeliano si congeda dalla 66.ma edizione del Festival internazionale del cinemadi Berlino, che si è appena conclusa, con due prestigiosi riconoscimenti, ottenuti entrambi nella sezione Panorama.

Il prezzo del Ritorno

Amos Elon abbandonò in maniera definitiva Israele nel 2004 e fece promettere che la sua famiglia non vi avrebbe mai fatto ritorno. Ma dopo la sua morte, la figlia regista Danae decise di infrangere la promessa...

La guerra vista da dentro

Premiato al festival di Cannes 2018, il documentario La strada dei Samouni racconta la vita a Gaza dei sopravvissuti a una strage del 2009. Con un mix di tecniche narrative trasmette un forte messaggio contro la guerra.

Nasser e oltre, i copti nella politica egiziana

L'opera di una ricercatrice italiana indaga il rapporto tra la comunità dei cristiani copti e il potere centrale in Egitto ai tempi del panarabismo nazionalista (e non solo). Gettando luce sui giorni nostri.

Il monastero di San Teodosio

Nel Wadi Nar, non lontano da Betlemme, si trova il luogo che fa memoria di una fulgida figura del monachesimo.

In Terra Santa coi francescani

Recarsi in Terra Santa è toccare con mano i luoghi in cui il Verbo di Dio è entrato nell'esperienza umana in Gesù di Nazaret. I frati minori della Custodia promuovono i pellegrinaggi con l'apposito Ufficio di Roma.