Atualidade

Jerusalém, inscrição bizantina é encontrada na Porta de Damasco


de Beatrice Guarrera |  29 de Agosto de 2017

David Gellman, Autoridade em Antiguidades de Israel, posando ao lado do mosaico bizantino descoberto. (Foto Nadim Asfour/CTS)

A notícia foi divulgada em 23 de agosto. O mosaico, bem preservado, veio à luz neste verão perto da Porta de Damasco em Jerusalém. Na inscrição uma citação ao imperador Justiniano.


Uma antiga inscrição em grego foi encontrada praticamente intacta em Jerusalém, perto da Porta de Damasco. A descoberta  que tem entusiasmado os estudiosos ocorreu no início do verão, mas foi anunciada à imprensa em 23 de agosto. "Estávamos prestes a finalizar a escavação, quando de repente um canto de inscrição do mosaico veio a luz", disse David Gellman, Autoridade em Antiguidades de Israel. Os trabalhos previam apenas a colocação de cabos subterrâneos no Portão de Damasco, na Cidade Velha de Jerusalém, mas depois da escavação, veio à tona algo completamente inesperado.

A inscrição foi encontrada em um pavimento de mosaico e remonta a 1.500 anos, talvez tenha sido parte de uma espécie de albergue para peregrinos. "A Porta de Damasco foi usada por centenas de anos como a principal entrada norte de Jerusalém - disse Gellman -. No período bizantino, com o surgimento do cristianismo, igrejas, mosteiros e albergues de peregrinos foram construídos na zona norte da porta e a área se tornou uma das áreas mais importantes e ativas da cidade ".

De acordo com a interpretação da Dra. Leah Di Segni, especialista em antigas inscrições gregas na Universidade Hebraica de Jerusalém, o texto da inscrição diz: "Na época do nosso mais piedoso imperador Flávio Justiniano, Constantino, sacerdote amado, ergueu e fundou também este edifício inteiro no ano da XIV «Indizione». Por «Indizione» naquela época entendia-se o período de um ano,  em relação aos quinze usados como um meio para datar os eventos e transações no Império Romano.

Na inscrição vem, assim, mencionado o imperador Justiniano, um dos mais importantes governantes do período bizantino; durante o seu governo (527-565) foi concluida a conversão ao cristianismo do Império Romano. No ano 543, foi o mesmo Justiniano quem decidiu construir uma grande igreja dedicada a Maria, cujo sacerdote era o mônaco Constantino. Os restos daquela igreja, conhecida como a igreja de Nea, foram encontrados na década de setenta do século passado pelo arqueólogo Nahman Avigad, no antigo bairro judeu da Cidade Velha.

Um aspecto particularmente interessante sobre a inscrição recentemente descoberta é que "é semelhante a um registro da Igreja de Nea, atualmente em exposição no Museu de Israel", disse Di Segni. "As mesmas duas pessoas são mencionadas na inscrição: O imperador Justiniano e o sacerdote Constantino - continuou o estudioso -. Este novo registro de certo modo nos ajuda a entender os projetos de construção de Justiniano em Jerusalém, em particular a Igreja de Nea ". Com base nas fontes históricas, os arqueólogos sustentam que a datação do achado no centro da descoberta pode ser colocada no ano 550-551.

A inscrição encontrada perto do Portão de Damasco foi removida por especialistas em conservação de antiguidades da autoridade israelense para ser analisada em um laboratório de mosaicos.

"O fato de que a inscrição tenha chegado até nós é um milagre arqueológico - comentou o diretor entusiasta de escavações David Gellman -. Todo arqueólogo sonha encontrar uma inscrição em suas escavações, especialmente uma tão bem preservada e quase intacta."

Em Damasco conventos e igrejas sob ataque

Os tiros de morteiros caíram por dias nos bairros cristãos de Damasco, na Síria. Acima de tudo, o Patriarcado Melquita e a paróquia dos Franciscanos da Custódia da Terra Santa estão pagando o preço.

Israel, líderes católicos: Mais humanidade com os migrantes!

Os líderes da Igreja Católica na Terra Santa pedem às autoridades israelenses menos dureza em relação aos migrantes eritreus e sudaneses, que agora têm duas alternativas: expulsão ou prisão.

Hospital São José incentiva parto humanizado

O hospital (católico) São José, em Jerusalém Oriental, oferece às gestantes palestinas todas as oportunidades para um parto seguro, dando preferência ao parto normal.

No Egito para os coptas uma grande catedral e novos mártires

Foi inaugurada na noite do Natal copta a maior catedral do Norte da África e Oriente Médio. O compromisso foi assumido há um ano pelo chefe de Estado. Enquanto isso, no entanto, os ataques contra os cristãos continuam.